29.3.10

Público-alvo de uma coleção





Hoje, no curso de Design de Moda, tivemos aula de Planejamento de Coleção. O tempo foi destinado para a confecção de uma prancha que representasse visualmente o público-alvo da coleção que precisaremos desenvolver como projeto final.

É claro que, ao pensar em um público, acabamos colocando muito da gente mesmo. E apesar de estar acostumada a lidar com o conceito de público alvo (em marketing e em publicidade), aqui é um pouco diferente. Tenho que pensar no público da minha própria coleção. Hehehe, é duro ser cliente...

A imagem acima é da prancha que eu fiz hoje durante a aula, já aprovada pela professora. E abaixo está o texto que descreve meu público. Será que conseguirei criar looks que combinem com essa mulher?


***

Público-alvo


Ela é uma mulher com idade entre 25 e 35 anos, que mora em bairros próximos à região central de Curitiba. Por critérios econômicos, pertence à classe B. Tem educação superior, dá bastante valor à vida profissional e está satisfeita com seu trabalho. Ganha o suficiente para uma vida confortável, mas não esbanja. Consome com moderação e faz compensações no seu orçamento para ter acesso a alguns luxos.
Seus valores são sólidos. É conservadora em algumas coisas e ousada em outras. É casada ou já teve um relacionamento sério, ainda não tem filhos ou, talvez, apenas um filho pequeno. Prefere uma conversa no boteco do que balada, adora comer fora, frequenta atrações culturais de qualidade. Inteligente, antenada e bem informada, gosta de boa música, bons filmes e bons livros, sem restrição de estilo, desde que não sejam óbvios ou superficiais. 
É engajada, mas não muito atuante. Por isso, busca formas de contribuir socialmente dentro das suas possibilidades. Separa o lixo, apaga a luz, não desperdiça água, detesta ver a mulher subestimada, banalizada ou representada como objeto sexual.
Gosta de ser criativa na hora de se vestir, por isso rejeita looks prontos de vitrine. Não é fashion victim e nem fiel à uma só marca. Prefere escolher roupas em diversas lojas e inclui em seu guarda-roupa algumas peças herdadas da família e outras compradas em bazares e brechós. Por conta de seu estilo, seu trabalho e seus valores, prefere composições mais básicas e discretas, mas busca sempre um toque que a diferencie das outras pessoas ou que confira uma certa sensualidade.
Seu nome é equilíbrio, suas inimigas são a obviedade e a previsibilidade.


4 comentários:

Henrique Mano disse...

Adorei! Essa á uma mulher bastante decidida.
Bjss

evary leal disse...

adorei seu cartaz. a definição de público está (obviamente) excelente. é mesmo muito legal a gente aprender coisas novas. sucesso no seu curso.
abraços

Adriana Baggio disse...

Obrigada, Henrique, obrigada Evary. Tá sendo muito bacana mesmo.

beijos

Anônimo disse...

Ficou ótimo Adriana, sua pesquisa me ajudou bastante como base!